domingo, 24 de outubro de 2010

O problema das 4 cores

Animação criada no Mathematica sobre este famoso problema.

Siga o link: demonstrations.wolfram.com/FourColoringPlanarGraphs/


Para ver o ficheiro necessita do Mathematica Player 7.


Fonte:
"Four-Coloring Planar Graphs" from The Wolfram Demonstrations Project
http://demonstrations.wolfram.com/FourColoringPlanarGraphs/
Contributed by: Stan Wagon (Macalester College)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

701 e 20

São os números de hoje.
Das escolas que desaparecem e do número máximo de alunos que tinham.
Aplique-se a mesma receita aos institutos públicos, empresas municipais e afins.
Encerrem-se 701 daqueles que empregam (no máximo) 20 afilhados, “boys” e coisa parecida.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

sábado, 27 de março de 2010

O Povo (não) tem sempre razão!

Os senhores que mandam decidiram trocar de marionete.

Já o tinham decidido há muito tempo! Por isso estava tudo muito bem preparado. O palco montado. O discurso escrito. O povo convencido. O protagonista encontrado.

Tudo se consumou e correu como previsto. O País continuará controlado. Os ganhos esperados manter-se-ão. Viva o 4º Poder!

Adeus Sócrates. Viva o novo Sócrates.

Passos ganhou. O PSD vai ganhar (não sei é quando). Portugal Perdeu.

Obrigado Paulo Rangel.

Ao apelo à união feito por aqueles que promoveram a discórdia respondo:

Serei fiel à união. Serei fiel ao PSD. Até porque tudo é preferível ao velho Sócrates.

Mas, manterei as convicções.

E o desejo de um partido (e de um povo) mais capaz de decidir pela sua cabeça.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Quatro razões para votar Rangel

  1. É votar no candidato mais competente para tirar Portugal deste constrangimento permanente em que temos vivido.
  2. É relembrar o PSD de Sá Carneiro.
  3. É devolver o Partido aos militantes, libertando das amarras do aparelho.
  4. É votar no candidato que o PS não quer que ganhe.
Eu voto Paulo Rangel.

terça-feira, 16 de março de 2010

O PS também tem “Lei da Rolha”!

Não é que o assunto seja importante, pelo contrário, é apenas um daqueles pormenores a que se deita mão para desviar a atenção do essencial.
E o essencial aqui foi que o Congresso do PSD foi um excelente momento de política, de intervenção, de debate de ideias, de vivacidade, de oportunidade e, principalmente, de esperança para este Portugal que necessita urgentemente de ser “dessocratizado”.
Por isso e porque se trata de uma medida inócua, sem efeito futuro real, se tivesse estado no congresso não a teria votado favoravelmente.
Não concordando com ela não posso, no entanto, aceitar de bom grado toda esta hipocrisia que sai da boca dos dirigentes do PS e que os jornalistas logo escarrapacham nos jornais. Como estes senhores não tiveram tempo de ler os estatutos do PS eu dou uma ajudinha:

Proposta de Santana Lopes:
“Cessa a inscrição no Partido dos militantes que se apresentem em qualquer acto eleitoral nacional, regional ou local na qualidade de candidatos, mandatários ou apoiantes de candidatura adversária da candidatura apresentada ou apoiada pelo PPD/PSD.”
O que está no Ponto 5. do Artigo 94º dos Estatutos do PS:
“Considera-se igualmente falta grave a que consiste em integrar ou apoiar expressamente listas contrárias à orientação definida pelos órgãos competentes do Partido, inclusivé nos actos eleitorais em que o PS não se faça representar.”

Proposta de Santana Lopes:
“A violação (…) é tipificada como infracção grave, especialmente quando a mesma se consubstanciar na oposição às directrizes do Partido no período de sessenta dias anterior à realização de actos eleitorais nos quais o PSD/PSD apresente ou apoie candidatura.”
O que está no Ponto 4. do Artigo 94º dos Estatutos do PS:
“(…) a pena de expulsão só pode ser aplicada por falta grave, nomeadamente o desrespeito aos princípios programáticos e à linha política do Partido, a inobservância dos Estatutos e Regulamentos e das decisões dos seus órgãos, a violação de compromissos assumidos e em geral a conduta que acarrete sério prejuízo ao prestígio e ao bom nome do Partido.”

Vêem diferenças?

sábado, 13 de março de 2010

Paulo Rangel

Há muito tempo que não escrevo. Por falta de tempo mas também de vontade.
Mas hoje não resisto.
Estou farto de abrir jornais e televisões e de ver como, de um modo descarado, nos impingem quem querem.
Durante 4 anos o Sócrates era o melhor do mundo. A Manuela só dizia asneiras. Era da idade, proclamavam!
Hoje percebemos a falta de VERDADE das pessoas que nos têm governado e ficamos atónitos com o seu despudor, a sua falta de ética e até de moral. Questionamos mesmo se ainda existe a palavra “consciência” no dicionário.
Amanhã e durante muito tempo sentiremos na pele o aperto de um salário que cobrirá menos dias de cada mês.
Nada que não pudéssemos ter previsto antes de Julho de 2009.

Vem isto a propósito das eleições do PSD.
Sou militante deste partido e não aceito a manipulação jornalística a que tenho vindo a assistir. Querem meter-nos o Passos Coelho pelos olhos dentro. Até faz lembrar o que nos fizeram com o Sócrates. Às vezes até penso que devem ter contratado as mesmas agências!

Não!

Quem decide são os militantes.
E os militantes não são os jornalistas. Nem os interesses instalados. Nem os socialistas. E muito menos os senhores do aparelho do PSD!
Os militantes somos nós, aqueles que só aparecemos nos discursos de circunstância quando convém chamar-nos de “militantes anónimos” ou de “simples militantes”.
Aqueles que sentimos a alma deste partido.
Aqueles que vibramos com as palavras de Sá Carneiro.
Aqueles que percebemos a razão desta súbita chamada ao pedestal do Passos Coelho.
Como dizia o Lobo Xavier citando Adriano Moreira: “desconfiai quando os vossos adversários vos elogiarem”.
E, curiosamente, dos 4 candidatos só um é que não tem virtudes: Paulo Rangel.

É este que terá o meu voto no dia 26!